Ai meu pé..


Saúde dos pés

Não se culpe se você nunca cuidou dos seus pés com o carinho que eles merecem. Afinal, ficam "guardados" o ano inteiro e parecem aceitar bem todo o tipo de desafio: saltos altíssimos, bicos finos, longas caminhadas, horas em pé... Mas não se iluda: depois de algum tempo, aparecem os calos, a pele resseca, a unha encrava, o joanete se acentua, unha encravada, micoses são apenas alguns dos males que – se não forem tratados – podem se tornar problemas graves. E, para piorar, tudo dói. Geralmente esquecidos, os pés também exigem cuidados especiais.

O cuidado com os pés não é só uma questão de estética, mas principalmente uma questão de saúde.

Como vimos nem sempre recebem a atenção que merecem, mas a sua importância é incontestável, especialmente por serem a base de sustentação de todo o corpo. Quando se anda a passos largos ou durante uma corrida, os pés chegam a suportar cinco ou seis vezes o peso total do corpo — força que pode chegar a quase uma tonelada.

Individualmente, os ossos do pé são frágeis, mas unidos por tendões e ligamentos, tornam-se fortes como gravetos juntos em um único feixe. Segundo o ortopedista Fabio Ravaglia, presidente da ONG Instituto Ortopedia & Saúde, estimativas da Associação Americana de Pedicuros mostram que ao chegar ao 50 anos, uma pessoa normal, sem maiores tendências esportivas, terá caminhado nada menos que 120 mil quilômetros, o suficiente para dar quase dez voltas em torno da Terra. “Mesmo sendo resistentes, os pés sentem esse esforço.

Assim como os sapatos, as solas dos pés perdem gradualmente sua natural proteção almofadada, pela degeneração do tecido gorduroso e, conseqüentemente, perdem sua habilidade de amortecer impactos. O resultado é que os ligamentos e tendões que mantêm juntos os 26 ossos e 33 articulações de cada pé ficam distendidos, tornando-os mais largos e longos na velhice, o que pode até requerer calçados de um número maior”, esclarece o médico, acrescentando que para preservar a saúde dos pés a pessoa deve, desde cedo, priorizar o conforto, especialmente na hora de escolher o calçado.

No verão, esse cuidado tem que ser redobrado. É importante que pés e sapatos sejam periodicamente inspecionados e higienizados. Os pés devem ter suas unhas aparadas de maneira reta, com cortadores especialmente desenhados para tal, deixando-as levemente maiores que as pontas dos dedos.

Um ponto importante é ficar atento à secagem entre os dedos, para evitar a propagação de fungos e bactérias. Outra medida, é mantê-los sempre que possível bem arejados; forros de sapatos em couro ajudam os pés a “respirar”.

Entre os problemas mais comuns que acometem os pés, segundo o dr. Ravaglia, está a calosidade que surge, em geral, por causa da pressão do calçado sobre a pele dos dedos. Essa compressão é um estímulo para a produção de um tecido fibroso, que é o calo. Um pedicuro pode remover esse excesso de tecido, mas esta é uma medida meramente paliativa: o problema só se resolve mesmo livrando o pé do sapato apertado. “Os calos e calosidades nos pés estão relacionados à produção, em excesso, de células de pele mortas, formando uma camada superior de pele que protege de lesões externas. Essa produção é resultado de pressão intermitente do calçado e peso do corpo”, afirma o ortopedista.

Um outro problema é o valgo, que ocorre quando o dedão do pé — que os médicos chamam de hálux — volta-se para a parte interna do pé. O hálux valgo impede que os dedos menores se apoiem completamente no solo, fazendo com que as articulações das falanges fiquem dispostas na forma de cunha, como se os pés estivessem fortemente contraídos. “Há uma propensão genética para o hálux valgo, mas pode ser provocado por anos de uso de calçados de bico fino”, detalha.

Segundo a podóloga Daniela Mossner, que trabalha num núcleo especializado de podologia em Florianópolis, a Maxipé, é fundamental que os pés tornem-se alvos permanentes de cuidados. “O descuido com os pés pode refletir na saúde do corpo inteiro”, afirma.

Sapatos inadequados são responsáveis por 90% das doenças dos pés. Ter em mente este fato na hora da compra significa prevenir o incômodo de pisar sentido dor. Flexibilidade da sola, material macio, bico amplo e salto em torno de três centímetros são características básicas de um sapato “saudável”.

Fonte: http://www.sitemedico.com.br
Fonte: http://www.ortopediaesaude.org.br

Categories:

6 Responses so far.

  1. Olha, hoje fui a podóloga.
    Desde que uma manicure tirou quase metade do meu dedo (tá, exagero, mas foi horrível), procuro essa ajuda especializada...

    Dá um alívio...

    Beijo e PAZ!

  2. Olá, amiga, passando pra te desejar uma LINDA PÁSCOA!!!
    Beijão
    Vero

  3. É muito bom cuidar dos pés! hummm
    haha


    beijinhos,
    xo

  4. E sempre bom cuidar dos pés não é !! eu faço os pés toda semana e passo certinho todos os dias !!!

    Marilia Boa Páscoa pra voce amiga!!

  5. Boas dicas, tem sempre q ter cuidado mesmo. Boa Páscoa pra vc querida.
    bjsss

  6. Ro says:

    Coitadinhos meus pés estão largados e abandonados.
    Quem sabe agora me animo...
    Mil beijos.

Leave a Reply

Comentários são muito bem vindos, sempre, a opinião mesmo que contrária será sempre respeitada. Porém aqueles que fugirem às regras do respeito mútuo não serão publicados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.