TERAPIA POSITIVA...Por Aline Dexheimer

TERAPIA POSITIVA

Recentemente li no jornal a coluna de uma conhecida escritora brasileira falando, entre outras palavras, que ociosidade gerava depressão. Exato, isso é verdade, quando estamos sem fazer nada, pensamentos negativos e muita bobagem passam pela nossa cabeça, mas quando li a solução dada, confesso que fiquei tão surpresa, talvez por ser diferente da minha! Ela diz que quando estivermos pensando em muita besteira é para amarrar um avental na cintura e se atirar numa pia de louça ou num tanque transbordando de roupa!
A sugestão dada me causou espanto e até veio de encontro ao ocorrido recentemente num grupo de mães de uma das redes sociais em que participo, quando uma delas desabafou sobre tristeza ou sofrimento do momento e, a outra, talvez, numa brincadeira infeliz e inapropriada para o momento em questão, sugeriu a mesma coisa, ou seja, vem para cá que eu tenho um cesto de roupa transbordando para ser passado e a depressão vai embora!
Tanto a escritora, como a mãe, quiseram dizer a mesma coisa, ou seja, parar de pensar besteira e fazer alguma coisa de útil.
Convenhamos, essa escritora ou mesmo essa mãe, devem ter empregadas ou faxineiras e, tarefas como lavar a louça, as roupas e até mesmo passá-las devem ser algo que fazem esporadicamente, se é que fazem e, neste caso, podem até servir como terapia, mas e o outro lado da moeda?E para aquelas pobres criaturas (no momento como eu) que fazem esse serviço (e mais alguns) todos os dias? Vai servir como terapia? Duvido muito! Não serve mesmo! Eu até já usei arrumar e organizar armários para por ideias em ordem, funciona mesmo, mas atualmente eu uso outro tipo de terapia alternativa.
Por experiência própria e condição da vida atual, eu digo uma coisa para vocês, minha terapia é o inverso disso tudo. Sabem qual a terapia que eu utilizo e recomendo para meus leitores sempre e há muitos anos? Primeiro: Tomar um banho demorado e lavar a cabeça “literalmente”, lavar cabelo e cérebro, lavando e imaginando todas as besteiras indo para dentro do ralo!Esse exercício me transforma e eu saio sempre outra pessoa com muitas ideias novas; Em segundo lugar: Tempo ocioso sim, mas não para usar a força física, mas a mental. Sabe o que se faz? Procura-se um objetivo de vida. Definir objetivos é a melhor terapia e pode ser divertido. Comece a se questionar sobre gostos, sonhos, desejos ocultos, leia, investigue, inspire-se no caminho dos outros, procure tudo o que estiver ao seu alcance para se autodescobrir e, então, definir objetivos principais, secundários, ou tantos quantosvocê quiser e necessitar. Como eu disse, pode ser um processo divertido e positivo.
Dá próxima vez que te mandarem fazer terapia no tanque ou na pia e ela não servir para você, experimente entrar no chuveiro, lavar o corpo e a alma para tentar descobrir como você pode contribuir para obter uma vida melhor para você e o mundo. Experimente.
Aline Dexheimer















Categories:

4 Responses so far.

  1. Jane says:

    Isso mesmo. Nem tudo serve para todas. Mulheres, estamos mesmo cansadas de serviços domésticos e se esses forem mesmo terapeuticos, todas nós estaríamos contentes e realizadas.
    Como minha amiga disse, melhor tomar um banho e lavar a cabeça.!!!

  2. Lavar a cabeça, às vezes corresponde a lavar a alma da gente, pq dá uma aliviada nas tensões. Bjokas.

  3. Gostei da sua sugestão, quando quero arejar a cabeça saio para fazer uma caminhada, andando bem rapido, assim sou obrigada a respirar, que é uma das coisas que travo quando não estou bem, acho que lavar e passar roupar não fundionam para mim, mas o importante é não deixar espaço para o ocio. Beijos> :)

  4. Obrigada pelos comentários.
    Beijos a todas.
    Aline

Leave a Reply

Comentários são muito bem vindos, sempre, a opinião mesmo que contrária será sempre respeitada. Porém aqueles que fugirem às regras do respeito mútuo não serão publicados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.